domingo, 24 de junho de 2018

Será que houve cantoria num evento social onde foi visto em grande destaque o homónimo do galego que ainda encanta o ''sopeiral'' com as suas lamúrias feitas a duas notas musicais?

Não deixa de ser curiosa esta incursão a solo do ''cubano'' que anda a tirar do sério aquele que se ainda se julga líder dos socialistas mas não só...

Os deslumbramentos do manobrador de conluios que chegou ao Largo do Colégio sem ter passado pelos votos dos funchalenses, estarão a embaraçar aqueles que o rodeiam e ao que se sabe a provocar  azedumes no ''primeiro-damo'', sendo mesmo uma das razões para o quase vias de facto que esteve à beira de acontecer com a ''pobre'' lebre cada vez mais desprezada.

O certo é que o tipo apareceu com ares de importante numa coisa que meteu carros de aluguer sem a sombra do seu ''careca''.

Cuidado com ele...

  

sábado, 23 de junho de 2018

Os agentes ao serviço da propaganda da desgraça também conhecida como a ''geringonça'' bem tentam esconder o insucesso da fórmula, tentando iludir os menos atentos, mas a verdade é que aquilo está a desmoronar-se.

Vejam-se as noticias que dão conta de uma invasão de moscas na unidade pediátrica do Hospital de São João no Porto. O ''pobre'' director da unidade anda a debater-se com o desprezo e a soberba do ministro (um caso gritante de incapacidade), e dos serviços do governo do ''costa não é nada comigo'' e num grito de revolta afirmou que a infestação de moscas é uma prova das condições degradantes em que o hospital está a funcionar... há serviços instalados em contentores. 

Mas, não é apenas na saúde que as coisas estão a bater no fundo, lá pela ponta ocidental da península Ibérica.O turismo, uma das bandeiras agarradas pelo governo da esquerdalha, ao contrário daquilo que andaram a propagandear, não estava a crescer de forma sustentada. Vivia em função de conjunturas externas e agora chegou o momento da queda, como vinham avisando as vozes que nunca compraram o festim dos ''costas, medinas, trindades, cabrais (um incapaz que não percebe nada de economia) e dos aprendizes que andam por aqui a dizer as asneiras que os desenraizados da agência cubana e o ''maestro'' com nome de cantor lhes andam a vender. Ao ''cantor'' era bom perguntar-lhe se os postos de informação turística que impingiu ao careca estão a funcionar bem...

Os últimos números do INE, apontam para baixas preocupantes nas hospedagens e dormidas - 8,4% e 5,4% respectivamente. Com toda a lata do mundo eles justificam o desastre com as chuvas que caíram.  

E há por aqui agachados, a incensar os feitos desta camarilha de incompetentes herdeiros do tal sócrates que levou Portugal à bancarrota.

 

sexta-feira, 22 de junho de 2018

É urgente uma intervenção política a partir da Madeira, para pôr fim à passividade do governo do usurpador (feito com os revanchistas) sobre a questão da chamada mobilidade que está a ser contaminada pela acção ''mafiosa'' da Tap, a dita companhia de bandeira e pelos ingleses (mais uma vez os ingleses a explorarem o nosso povo) donos da EasyJet airlines.

Para além dos preços loucos que praticam, estas duas companhias maltratam os madeirenses, cancelando voos e deixando sem qualquer proteção como é de lei, milhares de passageiros em terra.

Estão ao mesmo nível de uma companhia de autocarros que tivemos por aqui há muitos anos, conhecida pelos carros do ''Negus''. que se sem aviso alteravam as rotas e deixavam as pessoas a secar nas paragens. Com esta canalha dos aviões é mais ou menos a mesma coisa. Basta um tripulante adoecer??? ou então inventa-se uma avaria conveniente, e não há tak-off para ninguém.

É preciso dizer basta a este governo da geringonça, e a todos aqueles que por aqui, a troco de umas migalhas andam a prestar-se ao papel de autênticos traidores ao nosso povo.

 



  

quinta-feira, 21 de junho de 2018

A Tap é uma vítima constante dos jogos de poder ( mais parecem brincadeiras de garotos) promovidos em particular durante a vigência dos dois últimos governos da República.

O problema é que aqueles que aqui vivem e trabalham continuam a ser desprotegidos, prejudicados e vítimas de toda uma série de leviandades, descuidos e falta de habilidade política, de uns quantos que se têm mostrado incapazes na condução de uma matéria que se tem revelado um desastre para toda a nossa população.

A coisa começou com a descuidada e teimosa privatização desencadeada pelo suburbano de má memória e continuou com farsa da ''reversão'' comandada pelo governo daquele que anda a subjugar o nosso povo e que tem sido o engonhador-mor no chamado dossier da  mobilidade.

A tap continua a ser um verdadeiro maná para aqueles que vão passando pelas sucessivas administrações, sobretudo para uns certos a quem não se obriga a ''dar o litro'' e que se limitam a conferir mensalmente o seus saldos bancários. Há um bem conhecido por aqui..

Gananciosos, parece que agora reivindicam grandes aumentos nos já milionários ordenados que auferem (fala-se em sete vezes mais), não lhes interessando se a empresa está ou não a prestar um bom serviço ao país. Atrasos, cancelamentos de voos, desprezo aos portugueses das Regiões, nomeadamente aos madeirenses, pouco lhes interessa.

Esta companhia aérea não está servir os portugueses que ainda por cima parece que vão ser obrigados, a meter lá mais uma pipa de massa.

E semana após semana, mês após mês... já vai mais de ano, os madeirenses e porto-santenses, continuam a ser gozados é o termo.

Mexam-se deixam de se comportar como uns agachados. O nosso povo já está farto de ''cubanos'' e dos seus lacaios.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Quase que apetece dizer...faz pena ver o estado a que chegou este PS-Madeira.

Depois de se ter caído nas mãos de um incapaz que fugiu do Funchal para o norte da ilha, onde continuou a praticar todo o tipo de trafulhices (imagem de marca da figura em todos os lugares por onde andou), o partido transformou-se numa agremiação amestrada ao serviço de velhos interesses e de casta.

Acabam de emergir naquela organização política uma série de funcionários a quem foram dadas instruções para obedecerem a uns tipos que sem ''sujarem as mãos'' todo controlam e manipulam. 

É com esta tropa de idiotas úteis que na Associação da Avenida Arriaga, nos negócios dependentes dos fundos perdidos onde pontificam os históricos clãs que há muito controlam o partido (trindades, caldeiras, fernandes e companhia), e descendentes dos exploradores do povo madeirense, vindos da chamada velha Albion que vem sendo organizada a conspiração revanchista.

Também sem em sujar as mãos começam a ser identificados na partilha e no conluio uns jogadores embriagados pelo dinheiro e pela posição social que alcançaram todos sabemos como.

O resto é folclore, mas de péssimo gosto, como o triste espectáculo ciclicamente apresentado (agora foi a propósito de turismo e navios de cruzeiro), através das ''actuações'' recentes de um retornado que nunca trabalhou na vida e de um que se diz licenciado em medicina e que não há muito tempo resolveu ''sair da dispensa''.



 

terça-feira, 19 de junho de 2018

Sem saber o que dizer para dar prova de vida, preocupado com as avaliações regulares do veneno (a tal senhora que nunca pegou numa agulha e que insiste em apresenta-se como bordadeira), o machiqueiro que agora se faz passar por líder dos herdeiros da sinistra UDP, resolveu falar sobre a operação do ferry durante este verão.

Ora na linha da sua falta de tino, que ficou tristemente conhecida nos corredores e bancadas de São Bento, a criatura veio a terreiro perorar sobre a carga transportada pelo Vulcan canariano  que vai operar com preços subsidiados.

Alguém que diga ao tipo que o navio foi contratado para transportar passageiros e as suas bagagens... eventualmente os automóveis pessoais. Seria uma barbaridade subsidiar a carga comercial desembarcada no porto do Funchal, quando há quem esteja obrigado a transportar os seus produtos  ao longo do ano no Caniçal. Uma coisa é questionar os valores praticados, outra bem diferente e desprezível é lançar a confusão nas pessoas.

Se fosse aceite carga com custos subsidiados no ferry (como este defendeu) alguém acredita que quem a recebesse no Funchal iria coloca-la mais barata no circuito comercial?

O palerma não entende na sua cegueira demagógica, que aqueles que utilizam ao longo do ano a operação do Caniçal (porto vocacionado para o transporte marítimo de carga) ficaria em desvantagem subsidiando até a carga do ferry (desembarcada num porto para navios de passageiros).

Em matéria de ligações marítimas e transporte de mercadorias é preciso fazer muita coisa, é verdade, mas nunca com oportunistas que nunca produziram nada que se visse em benefício das populações.

E ainda há quem dê espaço a um ignorante deste calibre.


         

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Há cada indigente da politica que até mete dó.

Então não é que o direitolas (mais um a quem falta categoria para saber o que é ser de direita) que ''arribou'' em Câmara e Lobos, sem saber como, esteve no Jardim da Serra e qual vendedor de banha de cobra (soltou o analfabeto que há em si) defendendo a certificação da cereja e a sua exportação.

Estamos perante mais um tonto que desprestigia a nossa política com as suas asneiradas.

Ora como é que se pode pensar na exportação de um produto cuja colheita não ultrapassa as 200 toneladas ano e rende apenas cerca de 500 mil euros, quando rende?

As cerejeiras são plantadas em terrenos complexos e ambientes frios (Jardim da Serra e Curral das Freiras) em pequena escala e por isso não é sério lançar ao engano as pessoas falando em aumentos da produção.

Quando muito será preciso negociar a entrada das nossas cerejas nas cartas dos restaurantes e hotéis madeirenses,.

Na senda do ''barrete'' aí está mais um vigarista em todo o seu esplendor.