domingo, 28 de maio de 2017

À socapa como é próprio dos sonsos o golpe está em marcha.

Só falta saber se sempre vai ser construído um passadiço para ligar as duas redacções instaladas frente a frente na rua Fernão de Ornelas.

Talvez acabem por recuar na ideia para não tornar a coisa ainda mais escandalosa.???

O ar ''triunfal'' com que o porta-voz ''sem malícia'' anunciou a obra foi o culminar de mais um capítulo de um enredo protagonizado por alguém sem escrúpulos a quem deram por preguiça e incapacidade ''carta-branca''.

A vergonha em curso está a ser feita mesmo nas ''barbas do povo''. Estão a gozar na cara daqueles que foram enganados e assim acabaram por ajuda-los a consumar o assalto ao poder.

A ''porcalhice'' é uma realidade nesta terra.

O dito ''jornalismo'' agora é mesmo um farsa.

O tráfico e os negócios com os dinheiros de todos vai passar a ser feito sem regras (de certa forma já era assim que tudo funcionava nos últimos tempos) mas preparem-se para assistir ao regabofe e à promiscuidade. Tudo será ao gosto e em função de apetites insaciáveis!



sábado, 27 de maio de 2017

Um dia destes vimos publicada uma foto digna de assustar o mais calmo!

As pessoas que vivem nas ilhas da Madeira e Porto Santo e que se preocupam com o futuro devem ter ficado ''verdes'' de susto ao olharem para umas figuras que se dizem deputadas na Europa (não fazem nada em nome das populações que os elegeram) e para um grupo que incluía um advogado rico, que de peixe e pescas nada sabe. Para compor o ramalhete estava uma criatura que foi investida no cargo de secretário do governo tendo como currículo a má gestão de condomínios.

O dito ''gestor'' teve como chefe de gabinete um ''maçónico'' que agora parece querer candidatar-se à câmara de Odivelas lá pelos arrabaldes da capital do ''antigo reino'' em representação dos aprendizes de ''mafioso'' que vestem os polos verdinhos. A equipa mostrada na foto incluía um ''director de pescas'' com o curso de agente técnico agrícola e que á custa do nome de uma irmã explora um terreno do governo durante o Carnaval.

É o que se chama um verdadeiro emaranhado.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Os militantes do PSD foram bem enganados.

Não há ''renovadinhos'' mas sim ''recauchutados''.

Senão vejamos:

Em Machico há um tal Avelino com mais de setenta anos.
Na Ribeira Brava recrutaram um socialista com setenta e cinco anos.
Em Câmara de Lobos recuperaram um conhecido ex-médico que foi candidato pelo partido socialista com sessenta e cinco anos.
Em Santa Cruz há um mal realizado reformado da RTP à beira dos sessenta.
No Funchal aparece o ex-socialista Adolfo com sessenta anos.
Pela Assembleia anda um antigo candidato do CDS à Câmara do Funchal a quem deram o estatuto de vice.
Há ainda o manhoso ''sem malícia'' com sessenta anos reformado de luxo do Parlamento Europeu e
de outras coisas (vale milhares a reforma do peste).

Esta gentinha merece uma lição!

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O careca fez parte do grupo que muito contestou a Praça do Povo.

Ele também andou de mão dada palmilhando os calhaus (e em comunhão de pensamento) com o contabilista do turismo que nesses tempos não perdia nas bancas de jornais um exemplar de ''O Garapau''.

Em cordão foram vistos o ''menino'' Adolfo e a ''pequena máfia'' composta pelo Tó Pó, Welsh, Baltazar, Dionísio e ainda o milionário gilinho este sim o grande mafioso ainda à solta e agora também proto-candidato.

Agora a Praça serve para tudo.

Aquilo é tendas vip para os queques assistirem ao monótono desfile de barquinhos à vela (chamam-lhes fórmula um dos mares... só deve ser para rir) aquilo é exposição de carros antigos (parece que o dito gilinho expôs o seu Cadillac) com eles a elogiarem sem decoro o espaço cuja construção tanto combateram e denegriram.

Será que pensam que o povo esquece?

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Este país tem tido pouca sorte na escolha dos políticos que tem colocado através do seu voto na  liderança dos seus executivos.

Por aqueles lados (para não recuar muito) aconteceu-nos a ''praga Sócrates'' substituída pelo ressabiado sem qualificações Coelho que massacrou os portugueses como se estes fossem  verdadeiros parasitas iguais a ele, que nada faz ou melhor, nada sabe fazer .

Agora está no lugar o ''espertalhão'' Costa que surfando a onda da ilusão, anda a dizer que estamos a viver uma viragem em termos sociais e económicos.

Costa é uma nova versão da farsa protagonizada por Sócrates e Teixeira dos Santos.

Tudo cresce, até o desemprego, camuflado por números que eles lá pela ''geringonça'' inventam.

As falências continuam, mas a dita ''social'' pouco fala desta triste realidade.

Como nos anos de Sócrates andam a gastar de mais, porque vivem reféns do apoio do PC e do BE.

Apesar de toda esta euforia, mais dia menos dia cai-nos em cima mais uma intervenção externa.

terça-feira, 23 de maio de 2017

A candidata quer aumentar a ciclovia até São Tiago argumentando que falta à Câmara do Funchal políticas de investimento público.

Isto foi dito numa acção de campanha onde a candidata se encontrava ''sob a guarda'' de um antigo socialista, advogado e empresário com mestrado em falência de negócios, uma criatura anafada que é agora deputado do partido do governo e que faz questão de se apresentar como ''amigo de peito'' do chefe.

É difícil de entender a presença deste ente ao lado da candidata , ainda por cima a falar de obras. O governo que eles apoiam e servem limitou-se até hoje a continuar (ainda por cima com erros) obras lançadas pelo anterior executivo e a fazer um estardalhaço com a substituição de coberturas em amianto por telhas.

Isto enquanto coloca uns ''parvinhos'' a falar de buracos nas estradas e ruas.

Linda campanha!


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Há uma teia de silêncio à volta das negociatas envolvendo a comunicação social.

Fazem-se negócios mal explicados (sob a batuta do sem malícia) como é caso do JM, vendido por ridículos dez mil euros, numa jogada que meteu para além do dito cujo a quem deram rédea solta, ricaços e compadres da Venezuela e Miami.

O ridículo é assistirmos a uma cumplicidade silenciosa envolvendo partidos e uns tontos sempre prontos a falar de tudo.

Não se ouvem vozes a questionar este negócio que nos vai conduzir a um ''unanimismo'' perigoso!

Abriram-se as portas aos traficantes de páginas de jornal e das notícias simpáticas (bem pagas).

Uma verdadeira podridão, quando há pessoas a viverem  com o ordenado mínimo, outras com o mísero subsídio de sobrevivência e pior, milhares à procura do emprego que nunca aparece.

O governo não vê mal nenhum quando decide dar à folha inglesa trezentos mil euros por ano.

O mesmo governo e as câmaras acham normal a sua participação no negócio de mais de um milhão de euros para pagar publicidade e suplementos que ninguém lê.

É muito dinheiro em jogo (retirado aos impostos do povo) que dava para construir um tecto para quem vive na rua ou em situações precárias.