segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Agora é o próprio Tó a afirmar.

Há por aí uma ''criatura política e empresarial perigosa'' alguém que ''vegetou, caladinho durante 37 anos como governante e deputado'', alguém que ameaça a ''insurreição do voto na Assembleia Legislativa''?

Acrescente-se...será o mesmo que o jocker recandidato dá como adquirido como seu apoiante?

Estaremos a falar de alguém envolvido nos Panamá papeirs, alguém com um percurso enviesado que o levou a mudar de partido e até de clube?

Alguém que conseguiu vá lá saber-se como o controlo de bares e restaurantes em aeroportos e espaços públicos?

Estará o insuspeito Tó a referir-se a uma personagem que ao tudo indica tem influência na gestão do Centro de Negócios, do Casino, na hotelaria e comprovadamente numa fábrica de bebidas?

Isto para não falar numa grande teia escondida na obscuridade...

Será que o colunista dominical da folha inglesa o irreverente Tó, quis falar de uma certa personagem que tem uma especial apetência para fazer negócios com terrenos próximos de campos de golfe?

Será que que a figura em questão é um conhecido incorrigível viajante coberto de mordomias pagas com dinheiros do povo?





domingo, 24 de setembro de 2017

Há cada uma!

Agora o sorriso de jocker saiu-se com uma que é de gargalhada. Então ele não acaba de ''decretar'' que o Caldeira filho trabalha sete dias por semana. O  super-homem agora descoberto em São Martinho deve ser um caso raro na vida política desta terra e deste mundo.

A verdade é que os habitantes da tal freguesia do ''tamanho de alguns concelhos'' não viram  ao longo dos últimos quatro anos nenhuma mudança nas suas vidas.

As estradas e os caminhos estão numa lástima e ninguém conseguiu pôs a vista na criatura. Fugiu a sete pés dos residentes na freguesia e agora o descarado protegido pela folha inglesa sai-se com esta anedota?

Vá dar banho ao cão e polir a dentuça.

Por mais sondagens que encomende à empresa do parasita que em tempos traiu o partido por onde andou, acabando comentador e manipulador aos serviço das publicações  do ''tio'' Balsemão, a dita folha que anda há quarenta anos a perturbar a vida dos madeirenses em nome de uma doentia vingança, não vai conseguir enganar mais ninguém.

O Jocker farsante e mentiroso agita milhões e mais mais milhões como se a cidade do Funchal fosse milionária.

Tem um projecto político pessoal que não tem em vista a melhoria da vida das pessoas (quais pessoas primeiro qual quê?...) revelou-se um mentiroso compulsivo sem princípios e valores.

Agora tentando branquear o comportamento da criatura execrável, a folha dita ''independente'' saiu-se com uma de bradar aos céus dizendo que o ''aproveitamento da desgraça não rende votos''.

Veremos...apesar de ao que parece o recandidato já ter garantido  para quem o quis ouvir, que o voto do ''direitolas  já está garantido o que será um acto de traição ao partido que tem ''amparado'' o agitador.

sábado, 23 de setembro de 2017

O direitolas (sim porque para ser verdadeiramente de direita dá trabalho e é preciso pelo menos ler uns livrinhos), anda convenientemente desaparecido da campanha.

Para este o que vale, o que interessa, é o que se passa no Panamá e nas ilhas do Canal, ai é que as coisas rendem e dão muito dinheiro.

Foi dispensado por incompetência e deslealdade em 1992, e daí para cá limitou-se a um refúgio bem pago no partido que lá lhe tem garantindo mordomias e ''influência''.

Estará convencido que haverá uma derrocada e por isso virou a agulha, como muitos dos frequentadores de um conhecido restaurante na baixa da cidade têm testemunhado e ouvido alto e em bom som.

Anda a tramar alguma. Todos os que frequentam o exíguo espaço na Queimada onde se realizam as almoçaradas  já conhecem parte  dos seus planos.

Parece que tem preparadas umas agitações em conluio com apoiantes de um antigo governante com quem tem mantido alguns encontros.

A traição (mais uma) vem a caminho...


sexta-feira, 22 de setembro de 2017

O tal candidato que não passa de um grande barrete (inofensivo sem rasgo) cheio de amargura condizente com a sua fácies veio queixar-se de plágio.

É alguém praticamente inexistente nestes dias que fervilham de promessas e mais promessas.

Tentando apresentar um ''rasgo'' de criatividade veio falar na devolução de IRS imagine-se até 2021, ano em que muito poucos se lembrarão da sua passagem pela cena política.

Passou os anos em que teve ''presença'' na ribalta a auto incensar-se achando-se capaz de chegar a algum lado, mas revelou-se um verdadeiro bluff .

Agora acusa outros de não terem programa nem projecto para a cidade logo ele que falhou em tudo aquilo em que se meteu.

Coitadas das criancinhas das creches e dos idosos que num ''rasgo'' eleitoralista chamou ao rol das suas preocupações.

Este é mais um ''fogo fátuo'' entre tantos que povoam as notícias da estação...

Entretanto, a grande anedota da semana foi chamar ao advogado de vão de escada (eterno candidato sempre pronto para um desenrasque) e nos últimos anos conluiado com a turma cafofiana ''voz da justiça social''.

Isto está a transformar-se numa comédia e seria de rir a bom rir se não estivessem em causa coisas muito sérias.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

No partido ainda maioritário sente-se cada vez mais a divisão provando as palavras de quem sabiamente disse que só a partir de dentro seria possível iniciar a fragilização e pior do que isso a destruição de uma ideia política construída em nome de toda a população da Madeira.

Figuras como um certo direitolas e outros que logo que viram pelas costas alguém que nunca lhes deu  rédia solta (o que os irritava) iniciaram a queda há três anos, pagando quotas a militantes??? usando dinheiro que um dia saberemos de onde veio e com com que objectivos.

São os grandes responsáveis pela perda de muitos votos, pela descredibilização e falta de militância.

Tudo começou em 2011 e teve continuidade dois anos depois numa vergonhosa campanha que tinha como grande desígnio derrubar e denegrir, num conluio com a ''social'' que nunca suportou quem nunca fez a vénia á dita.

Chama-se a isto traição.

A 1 de Outubro o mais certo será o insucesso.

Esperamos que os oportunistas que andam por aí a destruir sejam desmascarados.

E não venham com estórias da ''carochinha'' envolvendo quem sempre uniu.  

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

O que estamos a assistir nestes tempos de vindima é um verdadeiro escândalo.

Estão todos contentes com os números da produção. Chegam ao ponto de afirmar que são incomparavelmente melhores em relação ao passado.

Trapalhada de quem desgoverna. Compram onde mandam os ingleses e alguns continentais permitindo que se andem a fazer acordos nas costas do povo.

Dizem que o governo não compra mais produção e entregam a mando dos ''senhores'' a quem obedecem (ai os complexos de inferioridade) a cinquenta cêntimos ou seja um terço do valor.

Protagonizam esta coisa meio ''mafiada'' figurões como um tal que há quatro anos andou em campanha pedindo o voto no candidato do PS à Câmara do Porto Moniz prejudicando o candidato do PSD.

Mais uma azelhice de uma criatura que não tem emenda.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Foi publicado pela ''quinquagésima'' vez na folha do costume (devedora e temente dos arrufos da criatura) um corrilho de ideias que vêm sempre ao de cima quando o dito precisa de dar prova de vida.

A questão que se coloca de novo, é a quem interessa na realidade o escrito mais do que gasto e cujo conteúdo é publicado ciclicamente?

Agora aquela de vir dizer que algo vai mal nas finanças e nas relações entre a Região e a República é de provocar gargalhadas, daquelas que fazem muita pressão abdominal.

Então não foi o autor da prosa manhosa a pessoa encarregada pelos responsáveis da situação de apresentar na República as soluções para que todos os madeirenses vivessem a breve trecho na mais completa felicidade e sobretudo em relativa prosperidade.

Estamos perante um caso daqueles em que apropriadamente se diz que a ''montanha pariu um rato''.

Neste caso uma ratazana.

É que continuamos à espera da famosa lei que levaria o seu nome e o povo espera e desespera pela receita milagrosa.

Sim o povo, não os habituais beneficiários da ''labuta'' do homem que se tem em em boa conta, chegando a auto-elogiar-se, dizendo-se educado e portador de uma conduta superior...

Ena, que esta então é de rebentar a rir ...