quarta-feira, 25 de abril de 2018

Quase às dez e meia da noite, pedrados, saídos de uma nuvem de fumos vinda do Palacete, eles disseram que estavam a celebrar.

A vedeta convidada, um conhecido cantor que tem por hábito desafinar nos palcos onde invariavelmente chega com os copos e sob o efeito de  opioides, foi contratada para entreter os tais ''amigos'' de sessões recreativas e o maralhal disponível para ouvir a porcaria do repertório apresentado pelo desgrenhado lisboeta que ainda por cima tem todo o ar de quem não toma banho.

Um dinheirão gasto no cache pago ao bêbado e no massacre publicitário que desviou mais uns bons milhares para o ''mamanço'' do costume.

E assim se espatifa o dinheiro dos funchalenses, enquanto a sua cidade continua cada vez mais escaqueirada.

A este chulé chama-se desrespeitar e não comemorar o dito Abril.
    

terça-feira, 24 de abril de 2018

A ''canalhinha'' sonsa instalada a leste continua a mostrar a massa de que é feita.

Apoiaram a espécie de costa na geringonça do Funchal e agora em mais uma das suas golpadas para enganar papalvos (sim papalvos que o povo já os topa à distância) andam a fazer de conta que estão em ruptura com o amigo de sessões recreativas.

O preço da energia é igual em todo o país, tudo está sob o controle da regulação. As populações das Regiões da Madeira e dos Açores são compensadas em função dos custos de produção que são superiores nas ilhas.

Ora se há  beneficiados (vergonhosamente beneficiados) com descontos de 50% na conta da luz, são os dois ''chavistas'' do polo verde e o tal técnico??? de engenharia figura de proa nas aldrabices do Largo do Colégio.

E os agentes da dita social que se dizem jornalistas, publicam sem questionar as asneiras que estes políticos de meia tigela andam por aí ''vomitar''.    

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Há práticas que ficam entranhadas. 

Em tempos fervorosos apoiantes do tal Sócrates das ''mãos leves'' e vícios gastadores, agora praticantes da mama (todo o tipo de mama)

Facilitadores de construções, agentes de conluios que fazem derramar bom dinheiro em certa folha, são assim os novos ''sócrates''. 

Lá pelo rectângulo cozinham-se as artimanhas e as ''letras'' adaptadas ao estilo da ave de arribação homónima de um conhecido cantor decadente nascido na Galiza. Consta que a agenda dos encontros e ''espectáculos'' tem de passar pelo crivo da ''vedeta''. 

Tudo o que é engendrado passa por ali, pelo fiel ouvidor ao serviço do poder centralista, quem sabe o responsável por uma boa parte da coleção de mentiras do tal. 

Não há muito, parece que houve inspiração na célebre história do pipi que tanto atazana o Donald da América, numas sessões recreativas. Só que tudo terá acontecido em Londres (como se sabe, a ser verdade o Donald experimentou a coisa mas em Moscovo). 

Esta ''malta'' gosta de se recrear enquanto os amestrados se entretêm na política faz de conta muito publicitada na jornaleira local.

É para isso que a folha do zé e do bafos é paga.. é para isso que foi contratada aquela agência que anda a mamar à grande.



domingo, 22 de abril de 2018

Lisboa anda muito activa. 

Os sintomas de incómodo por não estarem a conseguirem dobrar  Madeira e a sua população são por demais evidentes. Há muita ''cubanagem'' a conspurcar o ambiente, fabricando na capital de província  as encomendas feitas pelos conhecidos parolos que aceitam o papel de criados dos inconformados com a secura de poder. 

As encomendas são pagas retirando dinheiros dos nosso impostos o que por si só revela a pouca vergonha em curso.

Sim, são dinheiros desviados das nossas contribuições, taxas absurdas e outras habilidades que pagam as viagens a Londres, os excessos de fumos (pelos menos é o que dizem as chamadas fontes bem informadas) a propaganda do mentiroso, os ensinamentos à lebre amestrada (deve ser uma carga de trabalhos), a ajuda aos delírios do ''primeiro damo''... a rica avença dá para muito.          

sábado, 21 de abril de 2018

Os aldrabões ''chavistas'' do leste, continuadores do ''agachismo'' a Lisboa, agora querem que sejam os madeirenses a pagar os arranjos nas esquadras de polícia.

Era o que faltava obrigar a nossa população a custear as forças dependentes de uma República que convive mal com a Autonomia. Os dinheiros dos nossos impostos não podem nem devem ser usados para gastar com forças que a maior parte das vezes se colocam ao serviço de velhos e caducos poderes ainda e sempre de pendor colonialista.

A história diz-nos que sempre que têm de tomar decisões estas forças obedecem às ordens que vêm do lado de lá.

Se os seus locais de trabalho não têm as condições mínimas reclamem junto do governo incompetente  do primeiro Costa.

Estes traidores do polo verde uns sonsos do pior que andam a chafurdar na nossa política, até que estão bem perto do local adequado para os recambiar tornando assim o ar mais respirável.

Os tontos nem conhecem aquilo que está nas leis (Constituição e Estatuto que consagra o regime autonómico).

   

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Há um engenheiro técnico na electricidade que tal como o ''verdinho'' sonso apenas paga 50% do valor da luz que consome em casa. Hoje anda pelas finanças da câmara liderada??? pelo mentiroso e controlada pelos clã do dinheiro (trindades e caldeiras e associados) e conluiada com o panfleto dos ingleses, a quem paga milhares em troca da publicação de informação amiga.

A ''vedeta'' acaba de dizer que vai investir o saldo de 2017 em obras durante este ano. Não faz mais do que o seu dever, ou será que chegou a ponderar aplicar o dito saldo no aumento  dos valores do seu contrato de imagem e comunicação (propaganda) com a agência lisboeta, ou a alimentar ainda mais a faminta ''folha do zé''?

Como nada fez durante o ano passado teve saldo e vai lançar umas coisinhas este ano. Mas qual é a novidade? Será que o homem se acha um génio com banalidades deste calibre?

Pior, é ver a porcaria da ''jornaleira'' a alinhar na farsa transcrevendo sem acrescentar uma vírgula àquilo que lhe mandam.

Voltamos à questão ''independência''? ... mas qual independência?

quinta-feira, 19 de abril de 2018

É de gargalhada. 

Então não é que o vira-cascas e trafulha hoje assalariado da organização cafofiana quiz aproveitar a onda das críticas aos deputados naquela coisa das viagens para vir a terreiro com umas tiradas oportunistas.

Logo ele que andou a viver à custa de uma associação que negoceia cadeiras de rodas e enganou ''meio mundo''. 

O desprezível parece que tem agora a missão de dizer mal dos adversários do careca, chupando uns trocos pagos por uma organização controlada pelo Largo do Colégio.

Já andou a fuçar na natação e parece que sonha com qualquer coisa ligada ao futebol.

Estamos perante um ''verdadeiro artista'' ainda por cima polivalente em aldrabices e afins.