quinta-feira, 19 de julho de 2018

Aquela senhora que faz do governo uma coisa muito familiar e promíscua (ela no mar ele nas internas) andou pelo Algarve (pudera estamos na época de eles irem para lá falar alto, perturbar quem pode ir aos restaurantes e ainda por cima no caso desta paga com ajudas de custo retiradas aos dinheiros dos nossos impostos) concretamente em Portimão, porto de partida do ''vulcan'' espanhol para o Funchal.

E o que é que a foleira disse? Elogiou toda a gente à excepção daqueles que foram mobilizados para custear e leviandade e a loucura, ou seja traduzindo para bom português, o povo madeirense.

Atreveu-se a pôr o pé na questão da mobilidade (um dos grandes escândalos suportados pelo governo de que faz parte), mas foi incapaz de assumir que o principio que devia colocar todos os portugueses no mesmo plano, tem uma parte (o governo de que ela faz parte) a roer a corda, chutando tudo para as costas (esta das costas tem que se lhe diga...) para a população  que continua a ser descriminada.

Tem um lata do caraças a mulher...

Se ela está ciente da importância da mobilidade em todo o território nacional, então no caso dos madeirenses, faça tudo para garantir a presença de um navio durante todo o ano na linha da Madeira, ajude (sim ajude porque parece que o seu chefe não está muito virado para aí) a resolver o problema da exorbitância paga pelo nosso povo sempre que tem de recorrer ao avião para ir ao continente e mande à merda o execrável açoreano César, um dos responsáveis pela ofensa e falta de solidariedade para com os madeirenses e porto-santenses com aquela vergonha do voto na Assembleia da Republica...

Se é para continuar a alinhar no revanchismo apadrinhado pelo seu chefe é melhor desaparecer da circulação e poupar-nos ao seu oportunismo rasca.  

quarta-feira, 18 de julho de 2018

O oportunismo na sua versão mais rasca, soltou-se nas bancadas da Avenida do Mar.

Na sua luta pela sobrevivência no meio politico (afinal o que move o jogador cada vez mais desacreditado ) o vale tudo rodrigues do CDS,  mostrou o grande hipócrita que habita sua desprezível mente.

Elogiou  um politico cujo pensamento sempre andou nos antípodas do partido do direitolas, alguém com toda uma vida feita na área comunista, um homem a cuja memória o reles e asqueroso jogador quiz colar-se, mas que nada lhe deve em coerência e muito menos em convicções.

Há anos, numa jogada em que usou e abusou da boa-fé  das verdadeiras bordadeiras, aquelas a quem o constante manusear das agulhas prejudicou a sua saúde e visão, o nojo que hoje se levantou no parlamento, conluio-se com a falsa bordadeira a venenosa mulher que também vive à custa da política (que ainda por cima lhe paga uma reforma jeitosa). A farsa só serviu aos dois e as trabalhadoras que neles confiaram continuam a contar os cêntimos.

Este rodrigues é hoje um devedor de favores ao careca e por isso tudo aquilo que faz nos lugares onde anda a parasitar é em nome da golpada em andamento. No CDS, à maneira soviética é o controleiro do ''barrete''.

Um nojo...


   

terça-feira, 17 de julho de 2018

Para andar na política é necessário ter estofo, não basta aquela coisa do ''mestrado em generalidades''.

Mas talvez pior seja ver um ''bocas'' acovardado no esplendor das suas insuficiências.

A agenda dos amestrados é decidida pelos outros e isso faz deles uns seres desprezíveis que conspurcam a nobreza da arte de fazer política.

Anda por aí acabrunhado (vá lá saber-se porquê) um espalha brasas que tem no seu currículo expulsões definitivas dos campos de futebol, envolvimentos em esquemas sombrios e a ocupação de lugares onde se mexe com a vida das pessoas, sem que para isso alguma vez tenha revelado competências e conhecimentos.

Este leviano, acaba de soltar o malcriado e o rasca que tem entranhados em si.

Ou houve brasa da forte na véspera e achou melhor ficar sentado com receio de fazer ''figura de Juncker'', ou então levou um aperto para ficar calado (há quem diga que está proibido de abrir a boca em lugares públicos sempre que o outro esteja por perto...pelo menos é o que se diz).

Diz quem anda lá por perto que aquilo vai no mesmo caminho das ''brunudas'' do tal que foi destituído no Sporting.

Como assim, pelo menos o malcriado e arruaceiro já sabe o que é ser banido...
 

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Conta-se por aí que em breve vai haver bronca da grossa no ramo imobiliário.

Haverá um cubano metido no esquema e ao que parece o amestrado do norte.

No entretanto, como se nada estivesse a ''germinar'', eles andaram em ''festa'' naquela que em tempos foi uma grande manifestação das raizes do povo do nosso campo. A Feira do Gado já não é o aquilo que foi e a culpa tem muitos rostos.

Está transformada num palco por onde desfilam oportunistas e parasitas da política. Pelos vistos perante este cenário o gado preferiu ficar no resguardo dos palheiros.

Que dizer das afirmações do iletrado, também conhecido como a lebre amestrada, sobre o sector primário?

O tipo não consegue atinar com nada de nada. Numa tentativa de impressionar os caldeiras das parreiras e latadas, que por lá andaram a controla-lo, falou em falta de apoios à agricultura. E então, o que é o FEOGA senão um Fundo criado pela União Europeia para garantir incentivos aos investimentos e modernização do sector agrícola? Como é que a banana da Madeira está a ser apoiada, como é que foram construídos por toda a ilha tanques de regadio, ao básico???

A ilha da Madeira caracteriza-se pela existência de minifúndios, pequenas parcelas construídas em terraços, tendo por essa razão em todos os concelhos, cultivos de subsistência, fundamentais para muitas famílias. Tornar a ilha da Madeira dependente do sector primário seria conduzir a nossa economia para níveis de PIB, inferiores aos Açores e muito paroxismos da Etiópia. Era soltar a miséria, ao parvo...

Já agora, como é que a parcela de terreno que tem este indigente a governa-la, consegue arranjar dinheiro (milhares) para festas intermináveis, onde se mistura o Jazz muito apreciado pelos caldeiras??? com as foleiradas  do Quim Barreiros, o campeão dos ajuntamentos de verão dos socialistas hoje liderados pela ''inteligência'' obediente ao golpista primeiro-damo e ao mentiroso compulsivo, por sua vez controlado pelo forasteiro e aconselhado pela falsa bordadeira?

A pobreza alastra pela Santa, Achadas e pela Ribeira da Janela e já chega às terras do morgadio à beira mar mas isso parece não incomodar a ave de arribação que tem deixado ''lastro'' por todos os lugares por onde tem andado. Quem fez bem foram os responsáveis pela arbitragem no futebol português quando decidiram irradia-lo dos pelados e dos relvados...


domingo, 15 de julho de 2018

O ''troca tintismo'' entrou na agenda após a pouca-vergonha do voto socialista contra a alteração do modelo do subsídio de mobilidade que inferniza a vida dos madeirenses.

Veja-se o imberbe Vieira do ''arco-iris''. Representa a rendição do PS-M à vontade dominadora do partido que representa o pior do centralismo, o partido que obrigou os seus deputados a votarem (não foi a primeira vez) contra uma decisão unanime tomada por eleitos democraticamente numa região de Portugal, mas só porque a indignação é geral, tem a lata de dizer em público que não se revê no voto dos seus camaradas. Cínico e oportunista o traste...

Mas alguém acredita? O agora ventríloquo ao serviço da canalha, não coloca em questão as atitudes de um governo e de um partido que é contra a unidade (e não promove a solidariedade) entre todos os portugueses, independentemente do local onde estes desenvolvem as suas vidas. O recente agente ao serviço de Lisboa, ataca os dois pobres de espirito que estão em São Bento (adversários internos) mas poupa os maiores responsáveis pela descriminação, o Costa conluiado com a golpada em curso, e o nojo açoreano chamado César.

E que dizer do caga-tacos de Santa Cruz, o pagador de almoços ao tal Costa? Também quiz passar pela sala de embarque da mobilidade, manifestando um sonso desgosto??? pelo facto de os madeirenses ''estarem a ser vistos como um fardo para a República''.

Ao tonto os madeirenses não precisam das tuas lágrimas de crocodilo. Deixa-te de merdas e cala-te...

Os madeirenses não precisam da ''solidariedade'' dos traidores.

sábado, 14 de julho de 2018

O PS prejudica deliberadamente a Madeira e os madeirenses em particular. Odeia a Autonomia e tem a sua estrutura local ao serviço daqueles que perderem privilégios de classe e ainda sonham com o regresso ao passado... aos tempos do povo de cabeça baixa e chapéu na mão.

É um partido com tiques colonialistas liderado hoje por alguém que é um entrave à solidariedade entre os portugueses. Nesta região( coisa que não começou agora, diga-se) sempre colocou na direcção política gente incapaz de colocar a Madeira e a sua população à frente dos interesses partidários.

A ''partidarite'' com sotaque lisboeta faz parte da maneira de ser destes traidores (não há que temer a palavra).

O usurpador Costa e todos os que integram o seu governo na República, os dois deputados socialistas da Madeira que se sentam em São Bento e o açoreano que os controla, aqueles que inspiram e dão a tática (trindades e companhia...) aos sabujos, idiotas úteis e iletrados que andam por aí no partido da mãozinha, a lebre amestrada, o primeiro-damo,o mentiroso compulsivo responsável por um dos períodos mais negros na história da cidade do  Funchal por mais propaganda e sequestro de jornais que promova, é uma triste realidade na vida dos funchalenses,o protegido do amado camarada secretario-geral, que anda a meter ao bolso milhares na Tap, sem vergar o serrote... toda esta camarilha é responsável pelo engonhanço da mobilidade que nos coloca na condição de portugueses de segunda categoria.

Aquilo que aconteceu na Assembleia da República, demonstra que vale tudo para esta gente quando a tomada do Estado e o controlo absoluto de todo o território é seu objectivo. A votação do PS (o partido de Lisboa) contra a alteração ao modelo do subsídio de mobilidade enviado pela Assembleia Legislativa da Madeira é um ajuste de contas vergonhoso sem sentido que merece a reprovação e repudio de toda a população desta Região Autónoma.

Por mais que eles venham dizer que nada têm a ver com as decisões do partido no plano nacional, como o fez o tal lingrinhas agora armado em ventríloquo, o voto de desprezo aos madeirenses e porto-santenses fica na história como uma das mais graves faltas de solidariedade para como o nosso povo!

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Está a passar quase um ano sobre a tragédia do Monte e quem passa os dias no palacete do Largo do Colégio diz que os nervos e uma irascibilidade, nunca antes vista, anda a estragar o sorriso ensaiado do farsante...

Um dia destes o ''ventríloquo'' que saiu da dispensa para que não viessem dizer que eles não estão a pensar no próximo 15 de agosto, veio anunciar uns ''cuidados especiais no dia do arraial.  É caso para perguntar porque razão o ''não perde uma para juntar ao calendário da propaganda'' mais uma vez não deu a cara?

As folhas compradas apressaram-se a dizer que o ''porta-voz da farsa'' clarificou alguns equívocos, com se  fosse possível esquecer e continuar a tolerar o cinismo do culpado de todas as trapalhadas, ''sacudir a à água do capote'' e fugas para a frente que se seguiram às mortes naquele meio-dia de agosto de 2017.

Os maus fígados do irresponsável (sentidos nos corredores do palacete) que não respeitou nada nem ninguém durante o luto, e que o levaram ao lavar de mãos qual Pilatos, ao ponto de ter desrespeitado o primeiro orgão da Autonomia, quando os eleitos pelo povo o quiseram ouvir, terá a ver com a falta de respostas da tal agência sobre a estratégia a seguir.

Há quem diga que já esteve na mesa uma ida a Londres para participar (acovardar-se) junto dos imigrantes nos festejos da senhora do Monte

Se lá for, não se esqueça de levar consigo a lebre (com a devida autorização do forasteiro é claro)...