domingo, 18 de fevereiro de 2018

Quem será o responsável pelo envio das fotos dos participantes no Congresso que está a decorrer em Lisboa?

Os próprios fotografados?... alguém comprado (pago) para fazer o serviço? Uma coisa é certa, nas imagens  vêm-se umas figuras que representam o declínio de um projecto que foi mobilizador e de uma partido partido que precisa de levar um forte abanão.

Pelo que se vê estão a passar o fim de semana na capital, muitos que viram naquilo a oportunidade de realizar uma ''peregrinação'' a Lisboa com tudo o que isso representa. Nas imagens enviadas aparece uma figurinha que nem a minúscula freguesia onde vive conseguiu ganhar nas eleições realizadas em outubro passado. Grande delegado, sim senhor, o futuro do partido nesta região está garantido. Alguns que por lá andam melhor seria que fossem obrigados a esconder-se, pois o povo já está cansado de os ver, como é o caso do organizador de excursões, que engana a população enquanto lhes serve bebidas pelos lados da freguesia de Santo António.

Ninguém duvide que a delegação de enviados à antiga capital do velho e decadente império, incorpora muitos dos responsáveis pela perda de câmaras e de lugares no parlamento nesta Região.

Viram a falta de entusiasmo com que os congressistas ouviram uma certa intervenção? E o palavroso citador dependente? A que propósito ? Marcar território para os tempos que aí vêm?

E o tal sempre à procura de aparecer ao lado de potenciais alvos das câmaras que não ele?

Renovem-se de facto.



 



sábado, 17 de fevereiro de 2018

Oxalá tenha sido de vez.

O mentiroso, vingativo e ressabiado já embarcou no seu comboio suburbano. Fica na história como um politico sem qualificações que se aproveitou de um período negro da nossa vida democrática para castigar os que afinal foram as grandes vítimas dos devaneios de um outro incapaz cujo triste destino hoje todos conhecemos. Apoiou o vigarista que acabou por substituir, o qual chegou a considera-lo o melhor parceiro para dançar o tango. Lembram-se?

Com um programa que afinal se revelou um grande embuste enganou os portugueses, massacrando-os à exaustão.

Com cinismo e sede de vingança desconsiderou e achincalhou os madeirenses e os porto-santenses e foi participante directo na divisão.

Acaba de se auto apresentar como um soldado mas sendo um inqualificado incapaz de manusear uma arma continua a ser dispensável.

Foi uma tristeza ver uns tolos, até alguns que lá foram daqui, a aplaudi-lo de pé e dizem  na ''jornaleira'' nojenta a ovacioma-lo, na hora da  partida para o cais de embarque na carruagem que seguiu em direcção aos arrabaldes.

Pode continuar a usar o pin na lapela mas continuará a ser um grunho.

Sem ele abre-se o caminho da reconciliação.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Há um deputado eleito pelos madeirenses que se vendeu às políticas da geringonça comandada pelo camarada secretário-geral em mais uma jogada de sobrevivência pessoal.

A coisa até que não terá nada de estranho se nos lembramos do seu percurso. Passou de raspão pela JSD, tornou-se afilhado obediente de uma parte do clã inglês que continua a ver a Madeira como uma colónia e a sua população como criadagem ao serviço dos ''meninos e senhores'' exploradores. Foi por estes colocado na ACIF, onde exerceu o papel de verdadeiro guardião dos seus interesses e sonhou ser um dia... o presidente. Virou a casaca.

Emproado e cínico irritou a canalha que o tolerava no PS e acabou corrido, numa manobra que teve a intervenção do tal camarada (ousou desafiar as escolhas do ''batido'' e lixou-se).

Agora numa tentativa de recuperar terreno e sonhando com a reconciliação regressou ao emprego político que ainda mantém em Lisboa e deu-lhe para elogiar os 400 milhões que eles vão gastar na Ferrovia, o alargamento dos Metros de Lisboa e do Porto e o investimento na Soflusa.

Para o vendido e interesseiro passou a ser assim; Por lá o investimento em obras públicas com a benção do homem que ''manda'' (continua a ser olhado com desprezo naquelas bancadas de São Bento...mas afinal por detrás de todo aquele cinismo há um servil) e com recurso a Fundos vindos da Europa merece todos os elogios do mundo. Na terra onde recebeu os votos que lhe deram  o lugar de deputado nada presta, tudo são ''esquemas''.

Aqui ele segue a politica de terra queimada praticada pelo seu partido fazendo coro com o chamado Bloco e com os Comunistas. É contra o novo Hospital, contra a Via Rápida, contra a conclusão da obras da cota 500, contra a ampliação do Porto do Funchal... é contra tudo.

Para ele todas as obras que se fazem ou lançam na Região, têm como único objectivo pôr os empreiteiros a ganharem milhões.  Por lá é ''investimento público, investimento produtivo que puxa pelo investimento privado''

Aqui está o palavreado de um discípulo do Sócrates da banca rota, em todo o seu esplendor.

A falta de seriedade e ética neste ja é coisa crónica.        

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Se dúvidas havia, o camarada secretário-geral e ''Primeiro'' usurpador acaba de mostrar que é parte do plano que visa a tomada do poder na Madeira a qualquer preço.

Disse com a cara de artista e mentiroso, tal qual fazem por aqui os seus ''acólitos'', que a Madeira tem a dívida pública mais elevada de Portugal. Logo ele o chefe em exercício do partido que levou o país à banca-rota, não uma mas duas vezes.

Mente com todos os dentes. A dívida percentual directa e indirecta da República atinge os 300 por cento enquanto a dívida directa da Região Autónoma da Madeira é de 120 por cento. No seu  conjunto as dívidas desta região não passam dos 200 por cento.

Eles mentem, fartam-se de mentir, quando atacam os madeirenses e procuram denegrir os seus representantes lançando as atoardas que os seus assessores, verdadeiros lacaios se encarregam de fazer  chegar às redacções que mantêm sob sequestro informativo (usando para isso dinheiros dos contribuintes desta terra). Agora sem vergonha na cara e sem a distancia que se exige a quem ocupa a chefia de um governo nacional, o chefe da chamada geringonça acaba de mostrar a massa de que é feito. É mais um que quer fazer ''gato-sapato'' dos madeirenses e dos porto-santenses.

A Madeira deve mas investiu  na melhoria das condições de vida do seu povo. Portugal ao contrário continua a não cumprir solidariamente como uma parte do território nacional, como está constitucionalmente estabelecido. A isto pode e deve chamar-se  muitos nomes, alguns bem feios, mas fiquemo-nos pela condenação da utilização de um cargo que devia estar ao serviço de toda a comunidade deste país respeitando todos por igual, mas que afinal é parte em golpadas partidárias cozinhadas por grupos de interesses conluiados com militantes de um partido político.

A ajudar à pouca vergonha esteve também um cidadão dos Açores de quem se esperam sempre umas ordinarices adequadas ao seu baixo perfil. Ora o que disse o palerma?

Na defesa da terra que ainda sofre o atraso provocado pelos tempos em que ele a desgovernou, disse que a dívida da Madeira é sete vezes superior à outra Região. Convenientemente a rábula ensaiada com o Primeiro ocultou o facto de por aqui termos um PIB superior (o dobro) a uma terra que tem uma parte significativa da sua população e da sua economia dependuradas nas verbas do POSEIMA e em subsídios vindos da União Europeia

A criatura que fugiu da sensaboria das suas ''amadas ilhas'' por ter ficado deslumbrado  com a vida lisboeta (desembarca por lá aos fins de semana  com ares de morgado) não passa de um ''pobre'' campónio.

Esta é a geringonça no seu ''melhor''... mentira, aldrabice, golpada fazem parte da natureza dos seus piões.

Já agora deixem a Madeira em paz e paguem o que devem.

    

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

''Foge cão que ainda te fazem barão''!

Este é um velho provérbio bem português mas que continua bem actual.

Foi com Eanes, foi com Soares com Cavaco. Nesses anos as comendas até pareciam concorrer com o ''bacalhau a pataco''. Comendadores e medalhados foram aos ''molhos'' e muitas vezes sem qualquer razoabilidade nos critérios de escolha. A saga também teve os seus momentos ''folclóricos''  com Sampaio o presidente que descobriu feitos em dois célebres Martins desta terra, dois, que se fartaram de enganar e manipular  o ''povo unido''.

Um ainda agita no extremo Leste da ilha e o outro está na história das sinistras organizações FEC  e UPM.

Também nos tempos que correm o homem que se encontra em Belém ''pela-se'' por momentos ditos solenes e anda a distribuir comendas a todos os que fazem do pontapé na bola profissão (com o devido respeito aos grandes profissionais) e não só.

Estamos perante um verdadeiro frenesim

A vontade de criar a tal onda de novos apoios de que tanto vai precisar é muita, mas a falta de ponderação é gritante e já começaram a chegar ao Palácio os ecos das ciumeiras de outros que também se julgam merecedores da ''medalhinha'' no peito e porque não do beijinho da ordem.

Qualquer dia ainda vamos assistir à devolução das distinções pelos portugueses que justamente as receberam por reconhecidos méritos e serviços prestados ao país.

O ridículo está à solta em Portugal, e agora com aquela de franquiar as portas dos restaurantes aos cães, não será de estranhar que os animais corram o risco de levar com o tal nobre título em cima, (sem culpa alguma)  consequência  da estupidez de uns palermas que se dizem deputados e governantes.  

    

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

O ''beijador'' é um pequeno peixe de água doce que pode ser visto em aquários a beijar outros peixes da mesma espécie.

Ora na politica à portuguesa há um incorrigível ''beijador'' à solta que parece preparar-se para dar o dito por não dito e agora até mostra disponibilidade para mimosear os mesmos que não há muito tempo foram contemplados com uns arrufos. Tudo porque bem vistas as coisas há um plano pessoal para cumprir e neste caso nem será preciso que o ''salvador'' desça dos ceús.  

A chamada geringonça ''costaniana'' agachou-se aos burocratas de Bruxelas e prepara-se para impor aos portugueses três novos impostos europeus. A ir para a frente vai ser taxar à grande.

Falam como se isso fosse coisa pouca, em taxação digital, taxação verde (cai sempre bem) e querem ''meter a mão'' no que chamam de taxação sobre transações financeiras internacionais.

O que Portugal precisa é de diminuir a sua carga fiscal para ser um país competitivo.

Há vozes que questionam esta sabujice (será mais saloiice) do ''primeiro'' e camarada secretário-geral, mas lá do seu habitat saltou o ''peixinho irrequieto'' em apoio proclamando as virtudes de um projecto que atenta contra a soberania do país.

Está visto que o homem agora só pensa numa onda com todos a surfar ao seu lado e é preciso começar a tratar das coisas atempadamente.

Ele consegue lá desperdiçar a oportunidade de viver mais cinco anos no bem bom?

Os portugueses estão à beira de serem transformados em ''serviçais'' obedientes a estratégias e interesses congeminados lá fora e eles só pensam na sua sobrevivência política.

     

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Tudo em surdina.

O careca e os seus sequazes já terão dado as suas ordens lá dentro.

Todos os projectos e obras ligadas de alguma forma ao lobista com quem estabeleceu um pacto de apoio, passam a ter a classificação de prioritárias e por isso não carecem de passar pelo crivo da burocracia. Os ficais terão recebido recomendações muito claras para que evitem passar em determinados locais ou no mínimo olharem para o céu ou para chão quando circulam pela cidade.

Consta que há mais três grupos em vias de serem contemplados com este verdadeiro estatuto de excepção.

O ''barrete'' e o ''senhor'' rodrigues já terão sido capturados pelo esquema a troco de uns apoios para as suas campanhas que deverão ser feitas em nome da ''amizade'' e do apoio à golpada que visa a tomada do poder.