segunda-feira, 21 de janeiro de 2019


A lagartixa mentirosa, diz que está pronta(o) a governar.

Se olharmos para o Funchal onde ele desgoverna (agora é mais gazeta diária) é de temer mais uma leviandade deste tipo.

Ora, sendo ele (bem tenta esconder ) um apreciador do modelo de social-comunismo à moda do camionista da Venezuela e do ''sabe-a toda'' Costa de Lisboa, os nossos emigrantes e todos os proprietários de casas, terão muito a temer com esta ambição desmedida pelo poder da ''nossa'' lagartixa. Ele e os seus seguidores não dizem, mas têm em mente estender (se chegarem ao governo) à  Madeira aquela medida defendida pelo bloco reacionário-comunista de tomar conta de propriedades alheias. Quem vive no Funchal e tem casas fora da cidade, ou o contrário, corre o risco de perder que é seu.

Ele diz que está pronto. Deve ser para lançar o caos na saúde à imagem daquilo que se passa no continente, onde governa o seu mentor. Por lá os doentes são colocados em contentores ao frio nesta época do ano e sofrem a tortura do calor no verão, mas ele e os seus comparsas, continuam a defender   os responsáveis por esta vergonha e dizem o piorio da Madeira, para agradar ao amado secretario-geral, Costa.

A Madeira não pode voltar aos tempos de antes do 25 de abril de 74 e à opressão do Terreiro do Paço.

Havendo na Madeira gente disposta a aceitar agachada os tiques colonialistas dos senhores de Lisboa, está  em marcha um conluio entre socialistas, ditos socialistas (na verdade social-comunistas), e a jornaleira em aflição e por isso disposta a vender-se a quem dá mais.

Não! O povo da Madeira conseguiu libertar-se das amarras de Lisboa e quer continuar a ser dono das suas escolhas.

Nunca serão os continentais, por mais embrulhados em títulos universitários, como os excursionistas habitualmente convidados pelo PS e pela ''turma'' cafofiana e herdeiros dos opressores do nosso povo, a decidirem sobre o  que é melhor para o nosso futuro.

Os madeirenses devem dar o devido correctivo aos traidores.

Independentemente da classe social, a nossa história diz que os interesses da Madeira só são defendidos, quando há madeirenses e porto-santenses genuínos na linha da frente do combate político.

Já agora, não deixa de ser curioso o facto de terem sido três portugueses do continente a reagirem ao congresso do partido do governo nesta Região Autónoma. É certo que dois deles são arribados, que aqui desembarcaram em busca de emprego. Em Lisboa, em representação do partido associado a golpadas visando a tomada do poder, apareceu num palanque uma senhora a asnear.




domingo, 20 de janeiro de 2019


Mas haverá alguém a dar crédito a estudos de opinião baseados em entrevistas feitas a partir de telefones fixos e ainda por cima coordenados por um socialista famoso pelos muitos falhanços que andou a vender? Lembram-se do dia em que este Oliveira resolveu fazer e comentar uma sondagem sobre as eleições nos EUA? O engasganço foi tal que acabou corrido da televisão que na altura tinha como cliente.

A verdade é que manipulação e a política do vale tudo continua a ser a arma da jornaleira sonsa e sem ética.

No dia escolhido a dedo encomendaram e escarrapacharam umas percentagens feitas à medida do combate às sobras diárias que têm sido regra naquela casa nos últimos tempos. O ''cérebro'' dos números deve estar em saldo e a coisa até pode ter sido à borla. Na verdade oportunidades para novas parcerias, não vão faltar este ano.

Agora seguem-se as ordens para a área comercial a ver quem dá mais em troca de informação amiga.

Imagine-se que até a governanta do Palacete do Largo do Colégio, um aparentado??? do cantor homónimo, o conhecido Júlio da Galiza (ambos foram nados e criados na Península Ibérica), se indignou em público com a ''traição'' da folha que ele tem ajudado a sair de muitas aflições financeiras.

Pensava o continental para aqui enviado pelo Largo do Rato a mando do secretário-geral e líder do governo social-comunista Costa, que tinha a coisa controlada, mas acabou comido pelos homens da folha inglesa.

O desenraizado parece que perdeu as estribeiras e anunciou o corte com a dita folha.

Pensamentos perversos, dizem no entanto que tudo não passará de fita encenada...

Vendo o caráter das partes envolvidas não será de colocar de parte esta última hipótese.

É esperar para ver quantos cadernos, encartes, e ''especiais'' fabricados na central de propaganda cafofiana, irão ser publicados nos tempos próximos...


sábado, 19 de janeiro de 2019



O ''senhor'' Barreto parceiro do jogador Rodrigues, disse que o seu partido não é muleta de ninguém.

Interessante mentirola vinda de que quem fez do seu partido bengala do fura-vidas, quando este precisou de aprovar a vergonha do PDM.

Agora para disfarçar chama populista ao putativo candidato (o terreno começa a fugir debaixo dos pés do senhor 5 %)

O ridículo é que ele intitula-se ''alternativa confiável''.

Uma gabarolice que não convence o velho CDS, e o seu eleitorado, fartos de verem o partido a ser usado em proveito próprio, pela dupla dirigente formada com os olhos postos nos lugares no futuro parlamento, afinal o ganha-pão dos dois.

Voltou a falar dos passes sociais nos transportes públicos insistindo no cumprimento com o chapéu alheio.

Desilusão é o ''senhor'' Barreto...  


sexta-feira, 18 de janeiro de 2019


Escarrapachado em mais uma encenação que visa apenas o alimento do seu ego, a lagartixa mentirosa, apareceu em mais uma sessão de propaganda.

Amianto, amianto zero, vale tudo para o tipo que é uma verdadeira marionete nas mãos de uma agência de manipulação paga através dos impostos dos habitantes do Funchal.

As declarações públicas do gajo revelam uma cabeça oca, que só debita lugares comuns.

Veja-se a patetice ...''uma nova era na habitação social'', como se por aqui os milhares que vivem em habitações sociais corressem perigo de vida nas suas casas. Parece que entregou três apartamentos e procurou transmitir uma situação de emergência felizmente inexistente.

O farsante prometeu que deixaria a câmara no dia em que assumisse uma candidatura a outro lugar politico.

Mentiu quando se candidatou e disse que o mandato seria para cumprir até ao fim. Aldrabou quando afirmou que deixaria a presidência do município logo que fosse indicada a sua candidatura às eleições regionais.

...é verdade também se esqueceu das suas responsabilidades na tragédia do Monte.

Protagonizou nos tribunais a maior farsa de que há memória.

E é um trafulha desta estirpe que que aspira governar a Madeira.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019



Por mais cartazes que aquela coisa liderada pela lebre e que apoia o mentiroso compulsivo numa candidatura ao governo, espalhe por aí.

Por mais que inventem sobre aquilo que se passa nas nossas unidades de saúde, não conseguem mascarar a vergonha que vai nos hospitais tutelados pelo governo do senhor Costa.

A sabujice a Lisboa e a traição ao nosso povo, está cada vez mais patente nas atitudes, escritos e declarações da camarilha.

Veja- se a tontice escrita pelo ''terras do avô '' numa lambuzadela à ministra que passou pela Madeira em visita partidária.

Mas, voltando ao caos que se verifica no continente, há relatos dramáticos da situação que se vive no Hospital de Penafiel. Gente que desespera aguardando uma vaga para internamento, doentes abandonados nos corredores em macas de urgência, fala de enfermeiros.

Uma situação nunca antes vista, como dizem os profissionais de saúde que lá trabalham.

Uma calamidade que nada tem a ver com as dificuldades normais nesta época do ano, reforçam.

Ora é caso para perguntar aos obedientes a ordens de gente desenraizada se é este o modelo de serviços de saúde que querem para a Madeira?

Ouvindo a lebre, a lagartixa mentirosa, a rapariga do Jardim, e o primeiro-damo, não restam dúvidas.

Eles estão a marimbar-se para os madeirenses e para os porto-santenses.

Não se importam de trair os seus desde que isso agrade às estratégias congeminadas em Lisboa.



quarta-feira, 16 de janeiro de 2019


Lá pela ponta ocidental da Península Ibérica, governada por socialistas e esquerdalha conivente, resolveram abrir uma guerra com os bombeiros, mas acabaram por levar pela medida grande.

Acusaram os bombeiros de arruaceiros, mas talvez não contassem com a coragem de um soldado da paz que disse das boas ao senhor Costa.

''Estou farto de hipocrisias de covardes como o senhor, que durante as catástrofes usam e abusam dos bombeiros para proveito político, mas depois abandonam-nos e destratam-nos...''

Foi assim desta forma dura e directa, quer um bombeiro se dirigiu ao usurpador através de uma carta aberta. Os ecos na dita ''social'' foram tímidos (e ainda dizem que não a controlam).

Na desesperada denúncia ficamos todos a saber que o governo notificou centenas de bombeiros para pagarem multas por excesso de velocidade quando comprovadamente se encontravam ao serviço em casos de urgência. Ficamos também a saber que há bombeiros incapacitados a receber pensões mínimas que não chegam aos 300 euros mensais.

O Primeiro-Ministro, muito amigo e apoiante do fura-vidas também conhecido como a lagartixa mentirosa, e idolatrado pela lebre e pelo primeiro-damo, propôs que os bombeiros do continente  passassem a ir de comboio para os incêndios para evitar o desgaste das viaturas ao serviço das corporações.

É este o caos que os sabujos e traidores ao nosso povo, querem replicar aqui na Madeira.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019


Corre por aí que aquele arroz de lapas servido ao almoço a mando da lebre do norte sabia a Açores.

Em pleno período de defeso nas duas regiões, e havendo uma diferença abismal entre a apanha feita nas águas madeirenses e as quantidades capturadas nos mares açoreanos, diz quem sabe, que lá pelas terras do Câmara submisso, que convidou a senhora ministra de Lisboa, para uma almoçarada domingueira partilhada com o fura-vidas, é raro poder saborear um arroz com lapas frescas, ou mesmo congeladas, genuinamente madeirenses, durante grande parte do ano.

Ora, sendo assim, o homem que foi ''jogado'' da arbitragem no futebol, continua a ser um adepto da fraude o que não é novidade para ninguém.

Assim, a ministra que aqui desembarcou em missão partidária (uma vergonha), foi a primeira vítima da ''aposta clara nos mares e na economia azul'' proclamada pela lebre do norte e pela lagartixa mentirosa.

A ministra Cabrita comeu e calou um arroz de lapas descongeladas, apanhadas há meses nos Açores.

Quem garante, sabe do que fala...