terça-feira, 19 de novembro de 2019


E lá vão mais dois mil milhões para o Novo Banco.

O Fundo de Resolução vai injectar mais este balúrdio no banco que resultou do desaparecimento do antigo Espírito Santo, como se sabe uma instituição muita amiga do bancarrota Sócrates. Entretanto, os americanos da Lone Star, um organização ligada a certos interesses e rituais, que tomou o controlo do Novo Banco, tenciona desfazer-se do banco no final do próximo verão (ainda ninguém desmentiu a notícia).

Quem dá cobertura a esta vergonha, é o governo submisso aos interesses estrangeiros, que se recusa a contribuir com a sua parte para a construção do novo hospital Central da Madeira- 150 milhões.

Quem assim procede, é o governo que não cumpre a Constituição e permite que se mantenha o escândalo dos preços das viagens entre a Região e o continente.

Não deixa de ser curioso ver um governo socialista conluiado com a ultra-esquerda, a roubar ao povo para entregar aos capitalistas.

segunda-feira, 18 de novembro de 2019


Saiu o fura-vidas, entrou o Gouveia, mas o registo é o mesmo, se não ainda pior.

Uma cidade que envaidecia os funchalenses, tornou-se numa urbe sem qualidade de vida, esburacada, suja, com um trânsito caótico, "sinfonias ensurdecedoras" de martelos pneumáticos por todo o lado. Os cortes no fornecimento de água sem aviso são regulares os derrames sem controlo são na ordem dos 80%...um caos sem fim.

O Gouveia diz que não tem dinheiro, mas continua a entregar 1milhão ao diário da sociedade Blandy&Sousa, queimando assim dinheiros públicos em propaganda e lixo impresso (os célebres cadernos especiais que ajudam a disfarçar o fracasso editorial do campeão das sobras).

Por outro lado mantêm-se aquelas viagens a Londres e às ilhas do Canal.

Com o Gouveia na Câmara, mais aquele inqualificável Vieira, o cidadão deixou de ser prioridade.  

domingo, 17 de novembro de 2019


 O senhor António de Lisboa foi apertado e soltou a verdade escondida.

O seu governo socialista ainda aliado às escondidas com aquela malta da ultra-esquerda reacionária e comunista, prepara-se para carregar ainda mais nos impostos.

No dia do primeiro debate no parlamentar, onde foi tentado até o limite, o silenciamento de vozes incómodas, a arrogância do falso modesto veio ao de cima com o homem a dizer preto no branco que "não dá nenhuma garantia de que os impostos indirectos não sobem durante esta legislatura".

Assim se vê ao que vem este governo socialista com as tais alianças escondidas. Continuar a enganar os portugueses que já suportam uma escandalosa carga fiscal é todo um programa. É o método de dar com uma mão logo tirar com a outra.

A fantochada do aumento do salário mínimo é um exemplo. Anunciam que vão aumentar e mandam o encargo para cima dos outros.

Era uma receita deste tipo que o agente cubano, queria implementar na Região através do seu fantoche.  

sábado, 16 de novembro de 2019


Os cofres do Estado socialista vão "empanturrar-se" com mais de 100 milhões de euros à custa do aumento do salário mínimo para 635 euros.

Na casa de cada português abrangido por esta medida demagógica, passa a entrar a "fortuna" de 565 euros líquidos, ficando o Estado com praticamente 70 euros. Os empregadores, esses, passam a entregar à gulodice estatal ao abrigo da Taxa Social Única - TSU, à volta de 150 euros por trabalhador.

Calcula-se que haja em Portugal 720 mil trabalhadores a receber salário mínimo.

Sendo assim as contas são fáceis de fazer;

A receita  da Segurança Social aumenta quase 123 milhões de euros.

É importante lembrar que quem ganha abaixo dos 634 euros por mês está isento de pagamento de IRS, enquanto quem contrata continua a ter os seus encargos fiscais.

O dito aumento do salário mínimo nacional é uma medida altamente demagógica e traiçoeira cujo único beneficiário é o Estado socialista.

Já se começa a ouvir vozes descontentes a ameaçar com uma greve aos impostos e a falar em batota.

É o que dá entregar os destinos do país àqueles que levaram Portugal duas vezes à banca rota.

sexta-feira, 15 de novembro de 2019


Notícias de lá e idiotices de cá.

Há um novo Secretário de Estado da Saúde, que dá pelo nome de Sales empenhado em agradar ao senhor Mário, apesar deste aparentemente ter descido na hierarquia do governo do senhor António de Lisboa.

Numa prova de que eles continuam a deitar mão às cativações, o dito ajudante do governo de lá, proibiu os hospitais e os centros de saúde de contratarem médicos e enfermeiros durante 2020.

O que é irónico, para não dizer uma coisa malcriada é ouvir o purgante que presidiu à Ordem dos Enfermeiros por cá e o também ex da secção regional da Ordem dos Médicos (por sinal os dois alinhados...militantes ???) do PS), a exigirem mais médicos e enfermeiros no Serviço de Saúde da Madeira.

 É o governo meio social e meio comunista de lá que estes dois apoiam que está a fazer um dos maiores ataques ao sistema público de saúde, mas os dois execráveis sem vergonha, inventam para ficar bem nas graças do agente cubano a quem obedecem, por sinal o autor dos relatórios enviados periodicamente para a capital.

Mais um nojo ao estilo do partido de Lisboa.   

quinta-feira, 14 de novembro de 2019



Aquela Célia Pessegueiro foi desmascarada pelo INE.

A Ponta do Sol o concelho que se encontra paralisado em consequência do pouco interesse e falta de preparação da ""senhora dama" é hoje por hoje, o lugar de Portugal onde as pessoas têm o menor poder de compra. Tem todo o ar de ter saído de uma reunião familiar aquela de culpar o passado e meter ao barulho quem nada pode fazer quando pela frente um ser com um alto nível de incompetência.

Ó senhora dama, não são os humores do Funchal ou de qualquer outra parte da ilha que chutaram a Ponta do Sol para o fundo da lancha em matéria de desenvolvimento e poder de compra, foi a sua impreparação para o exercício do cargo e a pouca atenção que dá a todos os temas que não tenham a ver com concertos, programas de festas e custos dos cachetes pagos a artistas cubanos de duvidosa qualidade. São também os milhares que anda a entregar à sociedade Blandy&Sousa, para comprar umas referências  favoráveis no folheto mais desacreditado deste país.

A "dama" Célia gosta de dizer que se preocupa com o bem-estar social das populações. Mas qual bem-estar, qual carapuça, a verdade é que governa o concelho com o mais baixo poder de compra da Madeira e também deste país. Quem vive na Ponta do Sol, da Pessegueiro, vive mal e já não pode com a berraria dos play-backs  merdosos que ferem os ouvidos sempre que  a residente no Funchal resolve passar os dias festivos ou apenas o fim de semana no campo.

Já há quem esteja a pensar comprar-lhe um bilhete sem regresso nos autocarros da velha Rodoeste.

quarta-feira, 13 de novembro de 2019


Há colaboracionistas que foram aliciados pelo agente cubano, hoje chefe da bancada parlamentar que representa os interesses de Lisboa, fulos e em desespero.

Foi-lhes prometido, emprego político mas a vontade popular trocou-lhes as voltas, e agora prometem desmascarar o arribado.

O trambiqueiro Iglésias anda deslumbrado com o novo cargo de tal forma que numa exibição ridícula chegou ao ponto de usar em pleno plenário matérias que parecem retiradas do trabalho sujo dos seus recrutados, mas também do conluio que ainda mantém com o panfleto Blandy&Sousa.

Estes dias de debate, mostraram que hoje tem assento no parlamento um provocador rasca e sem ética.